Ricardo Ayres destina R$ 400 mil para custeio de leitos em Porto; UTIs ficarão em definitivo no município

O deputado estadual Ricardo Ayres (PSB) informou na manhã desta terça-feira, 30, que destinará R$ 400 mil em emendas parlamentares individuais para o custeio de leitos clínicos no município de Porto Nacional. O parlamentar também recebeu do secretário de Estado da Saúde, Edgar Tolini, a confirmação e garantia de que as Unidade de Terapia Intensiva – UTIs, que serão implantadas pelo Governo do Estado, ficarão em definitivo no município. 

O deputado participou nesta manhã da reunião virtual do Conselho Estadual de Saúde, onde levantou a pauta sobre o Hospital Regional de Porto Nacional. Na reunião, o parlamentar ouviu dos técnicos que compõem o conselho a situação da unidade e das demais do Estado e reafirmou seu posicionamento de contribuição e parceria nas ações de saúde, principalmente nas que forem voltadas para o enfrentamento e combate da pandemia do coronavírus. 

Ayres explicou que Porto Nacional, além de ser umas das cidades polo do Estado e a quarta cidade mais populosa, é referência em saúde para diversos municípios da região. Ainda segundo ele, é mais do que necessário auxiliar no custeio dos leitos clínicos que foram implantados pela Prefeitura de Porto Nacional. “Não estamos medindo esforços para auxiliar no combate da Covid-19 no Tocantins, por isso, estou destinando essa emenda para a nossa Porto Nacional, que vai ajudar muito não somente o município, mas toda a região. Já destinamos mais de R$ 1,2 milhão para aquisição de cestas básicas, e agora mais de R$ 1 milhão em recursos para custeio de hospitais e não vamos parar até conseguir superar essa pandemia”, ressaltou o parlamentar. 

UTIs com recursos próprios

Ayres parabenizou ao Governo do Estado do Tocantins que está implantando as Unidades de Terapia Intensiva – UTIs com recursos próprios. Para o parlamentar, a confirmação da permanência em definitivo das unidades que serão implantadas em Porto Nacional é um avanço no atendimento em saúde. “Essas UTIs são muito importantes, salvarão muitas vidas e serão definitivas. Como estão sendo implantadas com recursos próprios, as unidades também não necessitam de uma habilitação no Ministério da Saúde, o que agilizará seu pleno funcionamento”,